Wellington diz que povo tem compreensão que Dilma não cometeu crime - Jornal da Ilha Grande Piauí

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Wellington diz que povo tem compreensão que Dilma não cometeu crime

O governador Wellington Dias, afirmou que o povo tem compreensão cada vez maior de que está nesse instante afastando, mesmo que provisoriamente, uma presidenta honesta, que não cometeu crime de responsabilidade






Wellington Dias levou solidariedade à presidenta Dilma Rousseff nesta quinta-feira, 12, no momento em que ela assinou o recebimento da notificação de que o Senado aprovou a admissibilidade do processo de Impeachment.

Dilma Rousseff falou para um grupo de 200 manifestantes petistas, em frente ao Palácio do Planalto, e logo após o discurso da Presidenta a Agência Política Real entrevistou Wellington Dias.

Sem comemoração

Sobre a situação vivida pela presidenta Dilma Rousseff, Wellington Dias, observando os manifestantes pró-Dilma, disse que “a gente vê pela própria expressão do povo, pouca comemoração de quem poderia estar festejando, porque não tinha noção do que verdadeiramente estava acontecendo a ficha foi caindo com o tempo”.  Ele se referia, na verdade, à ausência de manifestantes favoráveis ao Governo Michel Temer que, nesta mesma quinta-feira, 12, deverá empossar os novos ministros.

Wellington Dias comentou que o processo de Impeachment vai realçar com maior ênfase o legado que vem desde o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Vai se compreender cada vez mais que houve, inclusive, manobra para que não houvesse a aprovação de medidas para fazer a economia crescer”, afirmou.

Povo não perdoa golpe

O governador do Piauí entende que praticamente, “chantagearam, barraram o governo dela e o povo não perdoa traição. O povo não perdoa golpe”.

Wellington acredita que o próprio Senado vai vivenciar em cada canto do Brasil esse ambiente na defesa da democracia. “E acho que quando for a hora de votar o julgamento eu acho que haverá um outro ambiente”, estimou ele, otimista.

Como João Goulart

“Eu me lembro da carta de João Goulart em 1964, que foi arrastado aqui também por um golpe. E reagi e vi. Tive o privilégio de ver logo em seguida o Senado Federal revogar aquele ato do Senado”, sublinhou.

Para ele, a presidenta Dilma pode ter esse ato revogado ainda nesses 180 dias. “Não precisa esperar como João Goulart cinquenta anos depois. E a presidenta Dilma pode ter esse ato revogado por 28 votos ou mais no Senado”, acentuou.

“Eu acredito que ainda temos que resistir. Haverá mobilização, a luta vai continuar e eu estarei do lado da defesa da democracia”, concluiu Wellington Dias.


Agência Política Real