Correios deflagram greve no Piauí: contra a privatização e por plano de saúde - Jornal da Ilha Grande Piauí

segunda-feira, 12 de março de 2018

Correios deflagram greve no Piauí: contra a privatização e por plano de saúde

Trabalhadores dos Correios do Piauí (Sintect-PI) entram em greve a partir desta segunda-feira (12/03), em consonância ao indicativo nacional da categoria pela manutenção do plano de saúde, além de serem contrários à privatização da estatal. No dia 1º de março, uma assembleia extraordinária feita pelo sindicato local rejeitou a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST), apresentada pelo ministro Aloysio Silva.
O ministro Emmanuel Pereira, vice-presidente do Tribunal, já havia feito outra proposta, em outubro de 2017. Naquela época, a sugestão da Justiça oferecia a retirada dos pais do plano de saúde, o pagamento de mensalidade e o compartilhamento do custo em 25%. Agora, o novo relator apenas apresentou uma reedição do texto, o que fez gerou recusa dos trabalhadores.
CONTRA A PRIVATIZAÇÃO
A greve é por tempo indeterminado e inicia a partir das 0h do dia 12 de março, data do julgamento que irá definir o futuro do plano de saúde da categoria. A própria argumenta que luta pela manutenção do benefício desde 2011.
Coletivamente, os trabalhadores acreditam que um parecer contrário à manutenção do plano de saúde tem em vista uma política de sucateamento e desgaste para os servidores. Para eles, isso abre uma janela para justificar a privatização da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT).


CALENDÁRIO DE FÉRIAS
Outro assunto discutido na assembleia do dia 1º de março foi a última decisão da direção da ECT em relação às férias de 2018. Para o secretário de assuntos jurídicos do Sintect, tal determinação fere os direitos trabalhistas e relembra uma ação de 2017 que garantiu o benefício aos servidores.
“O direito sagrado a férias não pode ser retirado ao bem prazer da direção da empresa. Aqui, no Piauí, no ano passado, garantimos o agendamento, gozo e fruição das férias e agora iremos mobilizar nossa equipe jurídica e apresentar a juíza da Justiça do Trabalho esse problema com relação ao descumprimento da sentença”, afirmou José Rodrigues, secretário de assuntos jurídicos do Sintect-PI.
POSICIONAMENTO
Por telefone, a equipe de comunicação da ECT informou que a pessoa responsável pelo assunto está viajando. Com isso, um posicionamento oficial não pode ser dado pela empresa, cujos questionamentos feitos pelo OitoMeia poderão ser respondidos ainda nesta manhã. Esta é a segunda greve da categoria no Piauí, desde setembro de 2017, quando reivindicava melhoria salarial.