TERESINA:Casal tenta arrecadar US$ 100 mil para fazer tratamento da filha, que tem doença rara - Jornal da Ilha Grande Piauí

sexta-feira, 1 de junho de 2018

TERESINA:Casal tenta arrecadar US$ 100 mil para fazer tratamento da filha, que tem doença rara

O casal Elida Cavalcante e Tarciso Vale, pais de Thaís Cavalcante Vale, vem tentando arrecadar US$ 100 mil para fazer o tratamento da filha, de nove meses. A menina nasceu com um sinal no rosto, e quando os pais procuraram os médicos, descobriram que se trata de uma doença rara, chamada nevo melanocítico, cujo tratamento demanda a realização de cirurgia, feita apenas nos Estados Unidos, onde há especialistas em plástica pediátrica e reconstrutiva.

    Reprodução/TV Cidade Verde
Em entrevista à TV Cidade Verde, o casal contou que pretende fazer a retida do sinal e já publicou nas redes sociais informações das contas bancárias para doações. A família também fará o bingo de um bezerro, no qual os valores arrecadados serão todos voltados para o procedimento.

A mãe, Elida Cavalcante, conta como foi descobrir a doença da filha logo cedo. “Ela nasceu com esse sinal e nós não tínhamos conhecimento, não apareceu na ultrasson durante o pré-natal, e foi realmente uma surpresa, uma felicidade enorme por ela estar com a gente, mas uma surpresa. E como todo recém-nascido precisa de muitos cuidados, eu fui cuidar dela nessa parte de descobertas e o meu esposo foi pesquisar sobre essa patologia. Até os médicos não tinham muito conhecimento por ser uma patologia rara”, disse Elida.

    Reprodução/TV Cidade Verde
Os pais fizeram um orçamento com um médico dos Estados Unidos estimado em US$ 100 mil, valor que inclui não só o procedimento cirúrgico, mas também a internação, passagens, hospedagem. Além disso, a família precisará voltar ao país estrangeiro para o restante do tratamento.
"Serão 4 cirurgias, com intervalos de três a quatro meses, então seria mais vantajoso para a gente voltar para o Brasil, então a gente vai ter esse custo de ir e voltar, e tem a questão das passagens da minha sogra que irá conosco”, explica o pai de Thaís.

    Reprodução/TV Cidade Verde
O dermatologista Lauro Rodolpho Lopes explicou que o sinal pode tornar-se maligno. “A Thaís nasceu com um nevo que a gente classifica como nevo congênito gigante, pela localização e pela proporção que ele tomou no rosto dela, e esse nevo tem uma chance 10 vezes maior do que a pele normal de malignizar”, afirmou o dermatologista.
As cirurgias iniciam ainda este ano e a primeira será no dia 26 de julho. O dermatologista explica o procedimento que deverá ser feito nas cirurgias de Thaís. “Geralmente, o que se faz é uma expansão prévia, através de uma bomba para a pele distender; através desta distensão ele vai ter uma maior mobilidade de tecidos, e esse tecido, ou vai ser juntado direto, ou vai ser feito um retalho puxando a pele de algum local para cobrir aquele local que foi tirado”, completou Lauro.

    Reprodução/TV Cidade Verde
O pai lembra da importância do apoio das pessoas. “Essa questão financeira é importante sim. Mas a questão das orações, do pensamento positivo, isso para a gente é o mais importante. Nós estamos em Teresina há pouco tempo e isso tem sido de grande valor. É uma grande ajuda esse apoio moral que nós estamos recebendo”, considerou Tarciso.
As doações podem ser feitas na conta de Thaís:
Thaís Cavalcante Vale
CPF: 090 890 313-83
Banco Itaú
Agência: 4826
Conta: 29877-2