Jovem de 16 anos do interior do Piauí supera greve na rede pública e comemora aprovação em medicina

Após a menina de 15 anos, Maria Eduarda ter sido aprovada para medicina, foi a vez do estudante da rede pública de Luzilândia, distante 250 km de Teresina, Alyson Alves de 16 anos, também conquistar a vaga. Ele vai estudar na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), um das instituições mais disputados do país.
Alysson revelou ao OitoMeia que optou por medicina para representar os pais. Segundo ele, o pai, Alex Carvalho, e a mãe, Flaviane Marques, desejavam seguir a carreira médica, mas não tiveram oportunidade quando jovens.
“Meu pai e minha mãe não tiveram essa chance e eu sabia que se eu estudasse bastante eu poderia entrar no curso de medicina. Então, me dediquei bastante porque eu queria representá-los”, afirmou à reportagem.
Hoje, Alex trabalha como assistente de um consultório médico em Luzilândia e Flávia é dona de casa.
Alysson comemora aprovação para medicina com família (Foto: Arquivo)
VÍDEOS, ESTRATÉGIAS E EQUILÍBRIO
Para alcançar o sonho de criança, Alysson apostou em estratégias de estudo e vídeos da internet para estudar. “Eu comecei a estudar para o Enem em 2017, mas não sabia muito bem como me guiar. Então, eu comecei a ver vídeos na internet sobre rotina de estudos”, explicou.
“A escola e os bons professores também ajudaram muito”, continuou.
Um dos momentos complicados para o Enem foi a greve na rede pública, que durou dois meses. “Mesmo com a greve eu continuei a estudar e até consegui me concentrar mais na minha rotina de estudos para o Enem”, revelou ao OitoMeia.
A dica que Alysson deixa para outros estudantes é equilibrar os estudos. “Eu costumava estudar de três à quatro horas por dia. Pesquisando, cheguei a conclusão de que de nada adiantava estudar nove ou dez horas por dia e não aguentar manter essa rotina durante toda a semana por estar muito cansado”, explicou.
O estudante também destacou a importância de equilibrar a vida social. “Eu não deixei de usar redes sociais, mas passei a prestar mais atenção no tempo em que eu passava nelas, porque você acha que vai navegar por 15 min e quando vê passou 1h inteira”, afirmou.
Ao fim da reportagem, Alysson explicou que ainda deve conseguir o diploma do Ensino Médio, para enfim seguir os estudos em medicina, pois devido à greve das escolas estaduais, ainda não concluiu o curso.

Fonte: OitoMeia
TAG