Motorista perde a casa, mas enfrenta enxurrada para salvar vizinhos em Teresina - Jornal da Ilha Grande Piauí

sábado, 6 de abril de 2019

Motorista perde a casa, mas enfrenta enxurrada para salvar vizinhos em Teresina


A tragédia no Parque Rodoviário, na noite da última quinta-feira (04/04), comunidade localizada na zona Sul de Teresina, comoveu milhares de teresinenses. Imediatamente, em meio ao caos, as pessoas se mobilizaram para resgatar vizinhos, amigos e até desconhecidos arrastados pela forte enxurrada. A tristeza cedeu espaço para a solidariedade num cenário de desesperança. Henrique Carneiro, por exemplo, se torna referência de heroísmo.

O OitoMeia passou a manhã no local da tragédia, conversou com várias pessoas e questionou por “heróis” que arriscaram a própria vida para minimizarem os transtornos de terceiros. O motorista de aplicativo Henrique foi adjetivado assim e revelou que fez e ainda faz o possível para ajudar as vítimas, inclusive saindo com apenas uma cueca para enfrentar a enxurrada, lama e destroços.

Vale ressaltar que Henrique, também conhecido na comunidade como “Zaroba”, perdeu a casa, mas não se abalou com as perdas materiais, até porque conseguiu salvar a esposa e a filha de apenas um ano e seis meses. Até agora, no início da tarde, quando a equipe de reportagem ainda estava no local da tragédia, o entrevistado continuava ajudando com a realocação de pessoas e coleta de donativos aos desabrigados.

“Todos os moradores daqui são praticamente irmãos, pois moramos aqui há muito tempo. Infelizmente, perdemos a dona Graça e a criança de três anos. Hoje, estamos em uma situação desagradável. Isso foi de uma hora para outra e pegou todo mundo de surpresa. Eu estava só de cueca e, junto com outras pessoas, conseguimos pegar o ‘Dida’ [presidente da associação] e levar para o hospital, resgatar alguns pertences”, afirmou.

Um fato curioso sobre o Henrique é que ele sempre credita os parceiros que ajudaram na operação de salvamento das vítimas. O pronome pessoal “nós” não saía da boca dele, logo, muitos outros heróis anônimos também devem ser lembrados. Outro apontado pela comunidade é o Jamaro, que o OitoMeia não conseguiu encontrar. Mesmo assim, a todos que ajudaram e ajudam, fica o eterno agradecimento de uma comunidade que tenta se reerguer de uma tragédia.

Fonte:oitomeia