Pai enterra filho de 7 anos, vivo, após fazê-lo pensar que brincariam juntos - Jornal da Ilha Grande Piauí

sexta-feira, 21 de junho de 2019

Pai enterra filho de 7 anos, vivo, após fazê-lo pensar que brincariam juntos

Rogério Alexandrino dos Santos, de 27 anos, confessou ter matado o próprio filho, Davi Nonato Bento dos Santos, de 7 anos.
O homem teria dado uma paulada na cabeça da criança e a enterrou dentro de uma cova que ele fez dentro de casa. Segundo ele próprio, ao colocar o corpo do filho na cova, a criança ainda estava viva agonizando.
Dias depois ele confessou o crime à Polícia Civil do Amazonas, e foi preso.
Segundo os policiais, momentos antes de dar a primeira paulada no filho, ele disse que os dois iriam brincar e a criança acreditou.
O crime ocorreu na casa em que o homem vivia sozinho, localizada no conjunto João Paulo, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste da capital do estado.
“Os policiais militares se deslocaram até o local, onde encontraram o corpo da criança enterrado no imóvel, já em estado de decomposição. Rogério foi conduzido ao prédio da DEHS, onde realizamos as oitivas dos envolvidos. Ainda na tarde de ontem (segunda-feira), representei à Justiça o pedido de prisão preventiva em nome do infrator, que foi prontamente expedido pela juíza Luciana da Eira Nasser, no Plantão Criminal. Por volta das 19h, cumprimos a ordem judicial — explicou o delegado Paulo Martins, que cuida do caso.
O delegado também apurou que o crime foi premeditado pelo pai, e motivado por desavenças com a mãe do menino, ele queria se vingar da mulher.
“Rogério buscou David na casa da mãe dele uma semana antes do crime e o deixou na casa de um amigo. No dia do fato, o infrator pegou a criança, a conduziu até à casa dele e desferiu várias pauladas no próprio filho, causando o óbito. Logo em seguida, enterrou o corpo da vítima. Um crime bárbaro que surpreende até nós, que atuamos na polícia há tantos anos” — acrescentou o titular da DEHS.
A família então sentiu falta de Davi e acionou a polícia.
— Inclusive, o amigo de Rogério, onde a vítima havia ficado, chegou a perguntar sobre o paradeiro de David. Então, Rogério acabou confessando o delito a ele — disse o delegado.