Justiça expede mandado e assassino de Gabriel Brenno pode ser preso hoje - Jornal da Ilha Grande Piauí

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Justiça expede mandado e assassino de Gabriel Brenno pode ser preso hoje


Uma equipe do 1° Distrito Policial, comandada pelo delegado Sérgio Alencar, está em campo para tentar prender o apontado como responsável pelo assassinato do estudante Gabriel Brenno Nogueira. 

A polícia aguardava apenas por mandado de prisão, que foi expedido na noite desta terça-feira, para iniciar as diligências.As informações foram divulgadas pelo integrante da equipe de investigação do 1° Distrito Policial Raimundo Marcos ao Portal AZ. “Ele se encontra em Teresina mesmo; a equipe de investigação se encontra em locais estratégicos para ver se encontra ele”, explicou.

Ainda segundo o policial, o suspeito, identificado como Deivid Ferreira, pode ser preso ainda hoje.
Deivid Ferreira (Foto: divulgação/Polícia Civil)
O inquérito para apuração dos fatos que ocasionaram a execução foi concluído ainda no domingo (21). Para a polícia, não resta mais dúvida quanto à autoria do crime.

Entenda o caso

Gabriel Brenno Nogueira da Silva Oliveira, de 21 anos, foi atingido por um tiro de arma de fogo na Rua Paissandu, no Centro de Teresina. O crime aconteceu no dia 17 de julho.
De acordo com informações passadas pela polícia, o jovem estava indo a um curso preparatório quando foi surpreendido por um indivíduo que estava em um carro modelo Onix, de cor cinza.
Vídeo  que mostra o momento exato da execução foi divulgado pela polícia nesta terça-feira (23).
A vítima foi socorrida por uma viatura do Serviço Móvel de Urgência e levada, em estado grave, para o Hospital de Urgência de Teresina. O estudante foi alvejado por um tiro na nuca.
Gabriel acabou falecendo às 5h45 desta terça-feira (23), no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), onde deu entrada no dia do crime. O hospital explicou que a lesão cerebral apresentada pelo estudante era grave.
Na sexta-feira (19) a unidade de saúde abriu protocolo para identificar se o jovem havia tido morte encefálica, mas no mesmo dia ele apresentou atividade cerebral.