Piauiense é preso na Suíça por tráfico internacional de drogas - Jornal da Ilha Grande Piauí

terça-feira, 9 de julho de 2019

Piauiense é preso na Suíça por tráfico internacional de drogas

Um piauiense identificado como Marcos Clemilton Abreu Santos, de 38 anos, que era considerado desaparecido há dois meses, está preso na Suíça acusado de tráfico internacional de drogas. A notícia do paradeiro chegou para a mãe do acusado, por meio de uma ligação confidencial.
Marcos Clemilton trabalhava como agente de saúde concursado da Prefeitura de Teresina e atuava há mais de 10 anos na Unidade Básica de Saúde – UBS do bairro Saci, na zona Sul de Teresina.
Em entrevista a rede Meio Norte a mãe do piauiense falou como recebeu a notícia do paradeiro do filho.
“A pessoa da fala enrolada, eu não entendi quase nada, a única coisa que eu entendi foi que ele estava preso na Suiça transportando drogas. Eu fiquei desesperada e disse que ele não tem costume de usar drogas, de usar essas coisas não, eu criei ele foi trabalhando, ele tem um bom emprego.” contou Conceição Abreu.
Desesperada com o desaparecimento do filho, Conceição Abreu chegou a registrar um boletim de ocorrência na Delegacia de Desaparecidos. Amigos e familiares chegaram a fazer um vídeo fazendo um apelo em busca do paradeiro do piauiense, que foi visto pela última vez no dia 24 de maio deste ano. Ele teria embarcado para a Suiça, no dia 04 de junho pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.
Após a ligação confidencial, uma carta da Prison de Champ-Dollon, situada na cidade de Genebra na Suíça escrita por Marcos Clemilton, chegou na residência de um amigo em Teresina. Na carta o piauiense confirma que está preso na Suiça por tempo indeterminado.
“As coisas não saíram como pensei. Estou aqui detido na Suíça e vou ficar por um tempo até eles me mandarem de volta para o Brasil. Se possível, vá até minha casa confortar minha mãe.” Escreveu. 
De acordo com informações apuradas pela rede Meio Norte, em dezembro do ano passado ele teria feito outra viagem internacional sem avisar aos familiares.
Fonte: Jornal MN