Família procura por jovem de 24 anos que desapareceu em Cocal - Jornal da Ilha Grande Piauí

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Família procura por jovem de 24 anos que desapareceu em Cocal

O jovem de 24 anos identificado como Francisco de Assis Silva Soares, mais conhecido como Reginaldo, está desaparecido desde a última terça-feira (30). O rapaz é natural de Cocal, região norte do Piauí, e comercializa roupas importadas por meio de uma plataforma de vendas online. De acordo com o relato da mãe, Maria Margarida, Reginaldo tinha pouca interação com os demais membros da família e era sempre muito silencioso. 

Em entrevista ao GP1, a mãe do jovem explicou como ocorreu o último contato. “Na madrugada de terça-feira ele ficou a noite toda dentro do quarto, adesivando a janela e tirando o adesivo, todo tempo sorrindo. E às 4h da manhã ele pegou a mochila dele para vender roupa, eu o abençoei e ele saiu. Às 16 horas ele voltou, tomou banho, vestiu uma roupa nova, pegou várias camisas da loja, colocou o telefone e a máquina de passar cartão na mochila e saiu na moto de um amigo dele e sumiu”, explicou.

De acordo com Maria Margarida, a última vez em que soube notícia do filho foi no município de Barra Grande. “Eu comecei a mandar mensagens nos grupos da família e na quarta-feira nós ficamos sabendo que ele estava em Barra Grande; assistiu à missa, jantou na casa de um rapaz e pela madrugada ele surtou novamente e saiu gritando na pista. Então, eu fui atrás juntamente com um vereador aqui da região. Quando nós chegamos em Barra Grande eu achei uma cueca dele na estrada, na casa da pessoa que ele dormiu nós achamos a mochila dele com o cartão do banco quebrado e a chave da casa”, informou. Segundo Margarida, o filho adquiriu dívidas com a aquisição das roupas para revenda e sempre comentava em reforçar a distribuição dos produtos para abater os débitos vigentes. Para ela, isso pode ter motivado seu desaparecimento. “Ele tem uma loja virtual e passou a divulgar a loja dele para as pessoas da cidade comprarem as blusas, que são importadas. Ele usou três cartões de crédito para comprar as roupas e vender no período dos festejos. Então, eu acho que ele ficou pensando que ele não iria conseguir vender todas essas roupas. Ele era um rapaz calado, não conversava comigo, nem com a família, não dizia nada, só tinha três amigos em que ele confiava. Ele sempre se trancava dentro do quarto e não comentava nada da vida dele para mim”, disse

Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro de Reginaldo pode entrar em contato com ele por meio do número: (86) 9 9835-8457.